Como perpetuar seu escritório de contabilidade

por Igor G. Furniel

Muitos dos escritórios de contabilidade que atendemos nos procuram com a mesma preocupação: Estou no comando de meu escritório de contabilidade que está na segunda ou terceira geração da família, gostaria de “passar a bola para frente” mas tenho medo de perder o negócio.

 

A preocupação é muito pertinente, pois quando analisamos o modelo de negócio de boa parte dos escritórios de contabilidade constatamos que a empresa gira muito em torno de seus sócios, pessoas referência do negócio, que trouxeram e mantêm boa parte dos clientes, que muitas vezes continuam ali pelo bom relacionamento ou pela confiança construída ao longo do tempo. Em muitos casos além de serem o pilar do relacionamento, os sócios ainda são a referência técnica do negócio, concentrando grande parte do conhecimento necessário para a empresa fluir bem. “Passar a bola para frente” em um cenário como este é, de fato, um grande desafio.

 

A solução para o problema não é a coisa mais complexa no mundo da administração, mas certamente demanda muita dedicação, paciência, tempo e desapego. Detalhei 10 passos que se bem executados mudarão dramaticamente a característica dos escritórios de contabilidade que vivem este problema.

 

1 – Identificar o potencial daqueles que te cercam. Este é o primeiro passo, olhar ao redor e identificar quem são as pessoas que poderão assumir novas responsabilidades em seu escritório. Para facilitar este trabalho faça uma lista das atividades que são executadas por você e seus sócios. Inclua tudo mesmo, você não pode correr o risco de não contemplar algo que seja vital para sua empresa. Com a lista feita avalie aqueles com potencial para assumir novas responsabilidades e atribua notas para cada pessoa. Sugiro que utilize as notas (3, 5, 7 ou 9).

 

Habilidades João Maria Pedro Antônio
A 5 7 3 9
B 3 5 7 5
C 7 7 9 5

 

Dentre os eleitos escolha aqueles que têm maior potencial para liderar os demais, não cometa o erro de delegar a ele todas as tarefas operacionais. A liderança já é uma grande responsabilidade. Veja, de acordo com as melhores notas que pode assumir cada uma das tarefas ou atividades operacionais.

Se sua estrutura é familiar recomendo que não tome a decisão simplesmente pelos laços familiares. Grandes empresários como Abílio Diniz criaram programa de capacitação e avaliação de pessoas da família que querem fazer parte do negócio. Para ter sucesso na sucessão ou perpetuação do negócio familiar é fundamental dar atenção à Governança Corporativa assunto que abordarei em outro artigo.

Os testes psicológicos e técnicas de coaching podem ajudar muito neste julgamento. Já vi algumas empresas escolhendo pessoas com o perfil excessivamente técnico para gerenciar. Neste caso o prejuízo é em dobro: Perderam um excelente técnico e ganharam um péssimo gestor.

Caso não encontre na sua empresa, pessoas com o perfil para levar o negocio adiante, não se desespere. Começar por criar o ambiente necessário, como verá nos próximo passos, e comece a atrair talentos.

Os velhos planos continuam a fazer sentido: Plano de Cargos e salários e Plano de Carreira. Deixe claro a todos que existe um plano para aqueles que se destacarem!

Não se esqueça da Meritocracia! As pessoas que se esforçam para alcançar resultados reais devem ser premiadas. Não se esqueça de estabelecer critérios objetivos no julgamento. Todo o jogo deve ter regras claras! E não podemos perder de vista que qualquer meta dentro da empresa deve estar relacionada ao foco do cliente.

2 – Prover treinamento para eliminar os Gaps. É importante que gaste este tempo com os treinamentos que, em alguns casos, podem ser demorados. Ao mesmo tempo que estiver desenvolvendo os futuros pretendentes vá implementando os próximos passos. Em uma pesquisa apresentada no 30º congresso brasileiro de treinamento e desenvolvimento, mostrou que as empresas brasileiras treinam os seus funcionários em média 16horas por ano, enquanto as empresas americanas oferecem 31 horas.

3 – Cuidar do planejamento estratégico. Está aí um item complexo para delegar. Um planejamento bem feito permitirá que você acompanhe melhor o desempenho de seu escritório e eventualmente auxilie as correções de rumo necessárias para garantir os resultados almejados. Vou me alongar um pouco neste item dando dicas detalhadas dos passos que precisa dar para construir um bom planejamento estratégico com seus sócios e os candidatos que escolheu no item 1:

 

3.1 – Defina / revalide a Missão de seu escritório. A Missão deve refletir a razão de ser de seu escritório, o porque vocês existem, o que fazem neste planeta. Não se preocupe em escrever palavras bonitinhas para agradar alguém, GARANTA que a Missão será comprada por seus colaboradores que terão tesão de cumpri-la. O jargão militar cabe muito bem neste momento “Missão dada é missão cumprida”. Veja alguns exemplos de missão e perceba o alinhamento com o negócio de cada uma das empresas abaixo:

  • TEMPLUM: “Contribuir para um país mais forte por meio de empresas mais fortes”;
  • GOOGLE: “Organizar as informações do mundo todo e torná-las acessíveis e úteis em caráter universal”;
  • MICROSOFT: “Ajudar as pessoas e empresas em todo o mundo a concretizarem todo o seu potencial”;
  • NIKE: “Vender artigos esportivos, buscando inovação tecnológica e proporcionando conforto para seus clientes”;
  • WALMART: “Vender por menos para as pessoas viverem melhor”;
  • DISNEY: “Fazer as pessoas felizes”.

 

3.2 – Defina / revalide a Visão de sua empresa. A Visão por sua vez, traduz como seu escritório quer ser reconhecido. Imagine que esteja ouvindo a conversa de estranhos que falam de sua empresa. O que gostaria de ouvir? Quais atributos?

  • TEMPLUM: “Ser a melhor empresa de consultoria do Brasil”;
  • GOOGLE: “Ser referência mundial em inovação e organização de conteúdo, agregando conhecimento e bem-estar à sociedade”;
  • MICROSOFT: “Disponibilizar às pessoas software de excelente qualidade – a qualquer momento, em qualquer local e em qualquer dispositivo”;
  • NIKE: “Ser uma referência em artigos esportivos mantendo assim um vínculo com qualidade de vida e de pessoas”;
  • WALMART: “Ser o melhor varejista do Brasil na mente e no coração dos consumidores e funcionários”;
  • DISNEY: “Criar um mundo onde todos possam se sentir crianças “.

3.3 – Defina / revalide seus Valores. Não cometa o erro grave de listar valores que agradem a sociedade. Você não está fazendo isso para agradar alguém. Os valores de sua empresa refletem as crenças, estabelecem limites e ajudarão seus administradores a tomar decisões, contratar pessoas e demiti-las, tudo com base nos valores. Estes devem ser fortes, vivenciados e percebidos por todos.

 

3.4 – Faça a análise SWOT (strenghts – forças, weaknesses – fraquezas, opportunities – oportunidades, threats – ameaças). É um recurso que vem auxiliando milhões de empresas em todo o planeta desde a década de 60. Tem como objetivo fazer uma análise rápida de ambiente (interno e externo). Comece olhando para dentro de sua empresa e pontue os pontos fortes e fracos. Liste os 6 ou 7 principais pontos, não se preocupe em fazer uma lista gigante pois é muito recomendado que a análise SWOT seja refeita ao menos uma vez por ano. Em seguida faça a análise do ambiente externo avaliando quais são as ameaças e oportunidades que cercam seu negócio. Para cada item atribua pontos (3, 5, 7 ou 9). Some os totais por categoria e verifique em qual quadrante da tabela sua empresa se encontra. Veja que sempre haverá a combinação de 2 fatores, um de ambiente interno e outro de ambiente externo.

Matriz SWOT 

Interpretando o contexto de sua empresa:

  • Desenvolvimento: Desenvolvimento de Mercado, de Produtos, Financeiro, de Capacidades, de Estabilidade, Diversificação;
  • Manutenção: Estabilidade, nicho, Especialização;
  • Crescimento: Inovação, Internacionalização, Parceria, Expansão;
  • Sobrevivência: Redução de custos, desinvestimento, Liquidação do Negócio.

 

3.5 – Crie um plano de ação. Durante este trabalho você e seus pares certamente identificarão pontos de melhoria, riscos e oportunidades que precisarão de atenção ao longo do tempo. Registre as ações em um plano de ação que deve conter no mínimo os seguintes elementos:

  • O que será feito?
  • Por que será feito?
  • Onde será feito?
  • Quando?
  • Por quem será feito?
  • Como será feito?
  • Quanto vai custa?
  • Já foi realizado?

 

3.6 – Estabeleça um orçamento departamental. Se você não estará mais no comando no dia a dia precisará de ferramentas para garantir que as receitas e despesas estão sendo executadas conforme planejado. Este é um outro grande drama de donos de escritório que não delegam a gestão financeira. Hoje os bancos disponibilizam sistemas que permitem acesso às contas com diferentes perfis de uso, o que traz muita segurança para você.

 

3.7 – Utilize seus conhecimentos. Costumo dizer que em “casa de ferreiro o espeto deve ser de aço inox”. Incrivelmente muitos escritórios de contabilidade não utilizam os recursos de contabilidade gerencial no próprio negócio.

 

4 – Criar novas formas para atrair novos clientes. Boa parte dos escritórios de contabilidade ainda captam novos clientes através da boa e velha indicação. Sem dúvida esta é e continuará sendo uma das melhores fontes de novas oportunidades de negócio pois o cliente que recomenda seus serviços já faz boa parte do trabalho comercial, convencendo o indicado que vocês são bons. O problema é que em geral a pessoa indica e recomenda o seu nome, assim fica quase impossível não dar atenção ao possível novo cliente o que restringe a força comercial e o relacionamento de sua empresa a você.

 

A saída para este problema é apelar para o marketing e criar novas fontes de atração de clientes. Existem dezenas de formas e técnicas para atrair as novas oportunidades mas vou me ater aqui às técnicas de marketing digital, que acredito e que já apliquei com sucesso em escritórios de contabilidade.

 

A sacada para você entrar para este mundo é entender como funcionam os mecanismos de busca e entender um pouco sobre o comportamento das pessoas que buscam por serviços na internet com interesse de compra. Que é muito diferente daqueles que buscam informações na internet para tirar dúvida, fazer pesquisa, etc. Se você quiser entender mais sobre este assunto recomendo que faça o download deste e-book que escrevi: https://templum.com.br/e-book-alavanque-suas-vendas/ ele está recheado de dicas práticas sobre este assunto. Se estiver muito empolgado com este assunto tem mais dicas no artigo do Ricardo Tocha: https://templum.com.br/contador-quantos-clientes-voce-conseguiu-nos-ultimos-30-dias/

 

5 – Contratar um vendedor. Isso mesmo, um vendedor. Esta dica é valiosa e transformou muitos escritórios de contabilidade que ajudamos. Não adianta querer tapar o sol com a peneira e ter um funcionário que desempenha vários papéis e entre eles o comercial, isso não funciona. Ter um vendedor é ter um profissional dentro de sua empresa com desejo de vender 100% do tempo, que dá atenção aos prospects, busca clientes, que quer ganhar dinheiro com você.

 

6 – Mapear os processos. É provável que os processos fluam razoavelmente bem em seu escritório pois já fazem o que fazem há muito tempo. Entretanto, é muito importante que você faça o mapeamento de cada processo existente em sua empresa. Um mapeamento bem feito dá para o administrador o domínio e detalhes suficientes para que o mesmo possa influir, melhorar, administrar bem cada etapa de todo o processo, assim quando problemas aparecerem a pessoa no comando terá mais segurança para tomar decisões.

Cada processo deve ser mapeado completando minimamente as informações:

  • Identificação do processo
  • Objetivo (o que se espera como resultado deste processo)
  • Responsável
  • Atividades chave do processo
  • Entradas (materiais, informações, recursos, requisições)
  • Saídas (materiais, informações, recursos, requisições)
  • Monitoramento (possíveis controles e pontos de checagem para medir e monitorar o desempenho do processo)
  • Conhecimentos Necessários
  • Documentos
  • Riscos Associados
  • Oportunidades

 

Caso tenha interesse em receber uma planilha que criamos para fazer o mapeamento de processos basta enviar um e-mail para [email protected]

 

7 – Criar procedimentos e instruções de trabalho. Você já deve ter percebido que estamos cada vez mais próximos das questões operacionais. Neste ponto a preocupação é garantir que existem registros que pormenorizam as tarefas. Nem sempre os procedimentos e instruções de trabalho precisam ser documentos escritos, é cada vez mais comum a utilização de vídeos tutoriais, áudios, podcasts, páginas web, cartilhas, entre outros exemplos.

 

O vital é que sua empresa consiga disponibilizar de forma organizada tudo aquilo que seus funcionários precisam para executar bem o seu trabalho. Em um escritório de contabilidade existem muitas tarefas rotineiras e repetitivas, entretanto há situações mais específicas ou complexas que se conduzidas com imperfeições podem gerar graves problemas para você e para seus clientes. É neste momento que um procedimento pode “salvar a lavoura”. Outra situação que demanda bons procedimentos é o treinamento de novos funcionários.  Imagine como será bom quando seus funcionários puderem consultar passo a passo o que fazer a cada situação, tarefa ou procedimento!

 

Uma boa solução para resolver esta questão é a adesão à programas de qualidade como o  PQC

 

se pensa em criar vídeos tutoriais recomendo utilizar o software Cantasia que utilizamos aqui na Templum. É bom, barato e fácil de usar

 

8 – Automatizar o máximo possível. Por incrível que pareça ainda hoje milhares de contadores perdem tempo e dinheiro digitando ou redigitando, classificando e organizando os lançamentos individuais de cada um de seus clientes. Se você realmente quer a perpetuação de sua empresa terá que optar uma das dezenas de soluções que existem no mercado para auxiliar o seu trabalho e ainda melhorar sua prestação de serviços para seus clientes. Vou deixar registrado aqui duas soluções que conheço e recomendo: a Questor e a Nibo, ambas foram criadas pensando em facilitar suas rotinas e melhorar a interface entre você e seu cliente.

 

Outra solução que uso e sempre recomendo para automatizar o atendimento ao cliente é o Zendesk, líder mundial no assunto. Com o Zendesk sua empresa terá controle absoluto das requisições de clientes, níveis de resposta, índice de satisfação, entre outros. Esta empresa possui ainda uma solução incrível para atendimento via Chat que se chama Zopim

 

|Não há qualquer tipo de interesse comercial ou beneficiamento de qualquer natureza nestas indicações, elas realmente contribuirão para seu negócio|

 

9 – Se associar e participar ativamente de uma rede. Acredito muito no velho ditado que diz que “duas cabeças pensam melhor do que uma”. Participando de uma rede séria que se preocupa com a evolução de seus associados e do segmento polpa muito tempo de pesquisa, fortalece sua marca e engrandece seu escritório. Acompanhei de perto reuniões da RNC (Rede nacional de contabilidade) e me surpreendi bastante com o nível dos encontros.

 

10 – Comunicar os clientes. Seus clientes precisam saber o que está acontecendo com sua empresa, que estão mais profissionalizados, que há muito mais gente para fazer o que eles precisam e que você não é o centro das atenções. Pode doer um pouco, mas você precisa ter consciência que antes dos donos, dos sócios ou acionistas vem a empresa, que tem personalidade, que deve ser autônoma. Quando seu cliente perceber isso ele ficará ainda mais seguro e orgulhoso de ter a contabilidade na mão de uma empresa top!

Crie uma estrutura empresarial que funcione mesmo que você não esteja presente. A estrutura deve ter qualidade! O “encantamento” deve estar incorporado a cultura da empresa e não apenas restrito a um profissional. Faça com que os clientes acreditem na estrutura. Promova o rodízio dos responsáveis pelo atendimentos e monitore para que a qualidade seja mantida.

 Estes 10 passos são os primeiros valiosos passos de dezenas ou centenas de passos que precisamos dar para garantir a perpetuação de nossos negócios. A dica importante é sair da inércia e fazer diferente. Claro que o desconhecido ou o novo trazem insegurança ou medo mas certamente os benefícios são gigantescos e o percurso até lá é no mínimo uma aventura prazerosa que só trará benefícios para você e sua empresa!

5 dicas de finanças para negócios B2B

Por Diego Cordovez

 

Cada tipo de empresa tem suas particularidades, e entre negócios B2C (os que têm uma pessoa física como consumidor final) e negócios B2B (os que vendem a outras empresas), muita coisa é diferente: os processos de marketing, vendas, atendimento ao cliente e, claro, de finanças. Nesse post separamos algumas dicas sobre finanças para negócios B2B que vão ajudar novos empreendedores. Acompanhe!

 

  1. Aproveite a recorrência dos pagamentos

As vendas de empresas B2B costumam ser mais regulares. A menos que haja algum problema ou insatisfação por parte do cliente, ele com certeza voltará a fazer negócios com a sua empresa. Afinal, ele sempre vai precisar de insumos, matéria-prima e produtos para revenda.

Por esse motivo, as vendas B2B permitem que você conte com pagamentos recorrentes. A periodicidade varia: pode ser mensal, semestral ou até anual. Mas você sabe que, no próximo período, uma nova venda deve ocorrer. Esse fator de recorrência é positivo pois ele resulta diretamente em uma estabilidade de receita e um melhor planejamento.

Ao mesmo tempo, é perigoso criar uma dependência com as vendas a clientes regulares e esquecer de desenvolver novos negócios. Por isso, os negócios B2B precisam se concentrar em duas frentes: excelência no atendimento – para manter as vendas e pagamentos recorrentes – e proatividade na prospecção de novas oportunidades, para ampliar o número de clientes.

 

  1. Aproveite a previsibilidade das entradas

Como você já deve ter percebido, a recorrência de vendas e pagamentos permite que empresas B2B tenham previsões mais exatas de receita futura. E nós já mencionamos que é importante também fazer um esforço para desenvolver novos negócios. Aaron Ross juntou estes dois elementos para criar um método que permite aumentar as vendas de maneira escalável sem precisar de ligações (“cold calls”) ou de altos investimentos em marketing.

O método de Aaron está descrito em seu livro “Predictable Revenue”, e embora trabalhe com conteúdo de vendas, ele é essencial para qualquer negócio que deseje alcançar um melhor resultado financeiro. Sua proposta é otimizar o trabalho comercial para aumentar a receita da empresa de uma maneira previsível. E, quando a receita é previsível, as finanças podem ser controladas para se manterem saudáveis.

 

  1. Saiba como controlar o fluxo de caixa de um negócio B2B

O fluxo de caixa de uma empresa B2B geralmente é mais complexo do que em uma empresa B2C. Em primeiro lugar, quantidades e valores de compra e venda são muito altos, e os prazos de entrega são mais longos. Por isso, tudo precisa ser planejado a longo prazo.

Um negócio B2B pode ter clientes com compras programadas para um período de seis meses ou um ano.  Ou seja, é preciso fazer o controle do fluxo de caixa para um tempo maior. A única maneira de fazer isso de forma produtiva é com uma contabilidade eficiente e um bom sistema de gestão financeira.

 

  1. Saiba programar as finanças da empresa

Empresas ou startups B2B precisam programar suas finanças seguindo dois princípios básicos: utilizar os dados mais precisos disponíveis, e fazer previsões conservadoras. O controle também é um elemento essencial: todas as fontes de custo e receita precisam ser contabilizadas e estudadas.

Busque referências reais para programar suas finanças. Use a contabilidade de períodos anteriores para que suas previsões de gastos e receitas sejam mais eficientes. Você também pode trabalhar com referências de outras empresas de porte e segmento semelhantes, especialmente no caso de startups, que ainda não possuem muitos dados próprios.

Ao programar finanças, leve em consideração fatores externos. Quando se fala em finanças para negócios B2B, a variação cambial, a inflação e incertezas no mercado afetam fortemente as vendas. Por consequência, a receita e todo o planejamento financeiro também sentem efeitos colaterais. Esteja atento ao que acontece no mundo e incorpore estes dados na hora de fazer previsões.

 

  1. Comprometa-se com o plano

Uma das mortes mais comuns entre startups é que várias delas ficam sem dinheiro e não conseguem equilibrar o caixa antes da falência. Isso por si só já é um fato que assusta empreendedores e é muito comum observar um fenômeno: devido a economias exageradas a startup vira um “morto-vivo”, sobrevivendo ao longo dos meses sem tração e sem sair do lugar.

Por isso é importante comprometer-se com o plano estipulado: não corte orçamentos de marketing nem contratações se você programou. Elas podem justamente ser o diferencial num momento de crise. Nem todas as situações de emergência exigem freio, pois muitas vezes tudo que sua empresa precisa é pisar no acelerador e ganhar mais clientes.

Cumpra o plano, invista e cresça rápido. Essa é a única saída para um negócio de sucesso!

Para saber mais sobre finanças para negócios B2B, acesse o Blog da Viddheo

Como traduzir estratégia em processos

No seu dia-a-dia no mundo corporativo, você com certeza se depara com frequência com os termos estratégia e processos. Mas você alguma vez já parou para pensar no que eles realmente significam e na relação que deve existir entre eles?

Nesse post, vamos falar um pouco mais sobre esses conceitos, a relação entre eles e, principalmente, como a estratégia adotada pela sua empresa pode ser incluída nos processos.

O que significam esses conceitos?

Se você acessar agora a Wikipedia para entender o significado de “processo” no mundo corporativo, vai encontrar a seguinte definição: “processo é a sequência de atividades realizadas na geração de resultados para o cliente, desde o início do pedido até a entrega do produto. De acordo com outro conceito mais moderno, que é multidisciplinar, é a sincronia entre insumos, atividades, infraestrutura e referências necessárias para adicionar valor para o ser humano”. Nas empresas os processos se tornam importantes por várias razões: atender exigências legais, garantir parâmetros de qualidade e manter a organização das atividades, por exemplo.

Já a palavra “estratégia” está definida na enciclopédia eletrônica como: “a forma de pensar no futuro, integrada no processo decisório, com base em um procedimento formalizado e articulador de resultados”. Ou seja, ter uma estratégia é fundamental para que uma empresa saiba onde quer chegar e quais os caminhos que serão escolhidos para isso.

Por que você deve construir seus processos como parte de sua estratégia?

Assim que sua empresa tiver uma estratégia bem definida, esta estratégia deverá ser transformada em um planejamento estratégico, que vai traçar quais os caminhos que serão utilizados para alcançar os seus objetivos. E é aí que entra a relação entre os processos e a estratégia. Uma vez que você souber quais caminhos vai usar é preciso garantir que seus processos estejam adequados para seguir por eles.

Alinhar seus processos com a sua estratégia é, portanto, fundamental para que ela tenha sucesso.

Como traduzir estratégia em processos?

Existem muitas coisas que você pode fazer para traduzir a sua estratégia empresarial em processos. Confira algumas delas:

  • Para que a estratégia permeie todos os processos, é fundamental que todos os colaboradores e gestores conheçam a fundo a estratégia e os objetivos da empresa, assim, além de contar com o comprometimento de todos, será mais fácil contar com toda a equipe na avaliação e remodelação dos processos. Assim, é possível garantir que a estratégia e os processos serão vistos não apenas como papéis com palavras bonitas, mas como diretrizes para guiar as ações e decisões na empresa.
  • Um outro ponto fundamental para o alinhamento entre os processos e a estratégia, é o mapeamento e a avaliação de todos os processos. Assim é possível identificar quais processos estão alinhados com a estratégia e quais precisam ser modificados.
  • Capacitar o seu time para a execução correta dos processos também é muito importante.
  • Avaliar os resultados continuamente é outra tarefa fundamental para determinar os processos que estão tendo sucesso e os processos que não estão funcionando.

Traduzir a estratégia em processos não é uma tarefa simples, mas é fundamental para o sucesso da sua empresa. Essa é uma missão que deve ser levada a sério e se refletir na cultura da organização e dos seus colaboradores para que todos trabalhem com os mesmos objetivos.

Em sua empresa como os processos são definidos? Até que ponto eles refletem a sua estratégia? Conte a sua experiência pra gente nos comentários.

Saiba como tirar o seu planejamento do papel e torná-lo realidade

Um planejamento estratégico bem elaborado indica a direção, identifica oportunidades e possibilita o seu melhor aproveitamento, aponta riscos e ameaças a serem administrados, mas sem ação, nada disso importa. Em outras palavras, o planejamento deve servir como um guia para o gestor e ajudá-lo a corrigir possíveis desvios no caminho rumo ao objetivo definido. Porém, a colocação dele em prática é outra história e configura como o empresário poderá atingir os resultados planejados.

Segundo Thomas Edison, desenvolvedor de muitos dispositivos de interesse industrial, o planejamento é responsável por apenas 1% dos resultados obtidos, enquanto os outros 99% ficam por conta da ação. Com base nessa afirmação, ficamos inspirados e desenvolvemos esse post para você que ainda não decidiu tirar o seu planejamento do papel e torná-lo realidade. Vem conhecer as dicas que aumentarão as suas chances de sucesso!

1. Dê importância ao “como fazer” para justificar “o que fazer”

Geralmente, os gestores gastam muito tempo desenvolvendo um planejamento estratégico e definindo o que fazer para que os objetivos da empresa sejam alcançados. O problema é que sem especificar uma forma detalhada de como fazer isso a tarefa se torna mais difícil e, ao apresentar resultados abaixo do esperado, aumenta o risco do planejamento ser abandonado no processo. Definir o que fazer é importante, mas concentrar as suas forças para focar no como fazer tirará a impressão de superficialidade do projeto. É o diferencial que trará os resultados e garantirá o sucesso do seu planejamento estratégico.

2. Garanta o envolvimento de toda a empresa no planejamento

Ok. Definido o que fazer e, principalmente, como fazer para tornar a teoria em prática, é hora de garantir que o seu empenho não aconteça em vão. Motivar a equipe de trabalho pode ser uma tarefa difícil, mas o envolvimento de todos será crucial para garantir o sucesso do planejamento como um todo. É importante demonstrar como cada colaborador representa um pilar de sustentação na estratégia e como o baixo desempenho de um pode colocar em cheque todo o planejamento. Mostre também os benefícios que eles terão além da empresa e faça-os se sentirem importantes e integrados aos valores que o negócio defende.

3. Divida o planejamento em metas por etapas

Um objetivo pode ser mais facilmente alcançado quando é divido em metas por etapas e partilhado entre os departamentos responsáveis. Um planejamento estratégico anual, por exemplo, envolve objetivos a serem alcançados em cada departamento da empresa, representando uma parte do objetivo principal. Ao dividi-lo em etapas com metas mensais e análises dos resultados obtidos, as chances de correção de desvios são maiores e contribuirá para manter a motivação dos funcionários ao longo do percurso.

4. Ofereça os recursos necessários para a execução do planejamento

Colocar um planejamento estratégico em prática depende inteiramente da estrutura que o gestor irá montar para a sua ação. Leve em consideração a metodologia que utilizará para garantir as melhores práticas (metodologias ágeis), as ferramentas tecnológicas ideais para estimular essas práticas (softwares e equipamentos), os recursos materiais necessários para a produção e a preparação da equipe para o trabalho. Todos esses fatores combinados devem formar uma estrutura suficiente para a execução do seu planejamento estratégico de forma mais eficiente.

5. Tenha o apoio de um parceiro com experiência para ajudar

Desenvolver um bom planejamento estratégico sozinho é possível, mas sentir a sua eficiência na prática vai depender do grau de conhecimento e experiência que os gestores terão para executá-lo corretamente. Nesse ponto, contar com o apoio de uma consultoria especializada pode fazer toda a diferença. A transferência de Know howpode ampliar os horizontes da empresa e ajudar a identificar e aproveitar oportunidades para a expansão de mercado, adoção de inovações e a utilização das melhores práticas existentes no mundo. Além disso, é um passo importante para a obtenção de uma certificação ISO e elevar o profissionalismo e a credibilidade da empresa no mercado.

Agora queremos saber de você. O que considera importante na hora de tirar um planejamento do papel e torná-lo realidade! Conta para nós!

Um planejamento estratégico bem elaborado indica a direção, identifica oportunidades e possibilita o seu melhor aproveitamento, aponta riscos e ameaças a serem administrados, mas sem ação, nada disso importa. Em outras palavras, o planejamento deve servir como um guia para o gestor e ajudá-lo a corrigir possíveis desvios no caminho rumo ao objetivo definido. Porém, a colocação dele em prática é outra história e configura como o empresário poderá atingir os resultados planejados.

Segundo Thomas Edison, desenvolvedor de muitos dispositivos de interesse industrial, o planejamento é responsável por apenas 1% dos resultados obtidos, enquanto os outros 99% ficam por conta da ação. Com base nessa afirmação, ficamos inspirados e desenvolvemos esse post para você que ainda não decidiu tirar o seu planejamento do papel e torná-lo realidade. Vem conhecer as dicas que aumentarão as suas chances de sucesso!

1. Dê importância ao “como fazer” para justificar “o que fazer”

Geralmente, os gestores gastam muito tempo desenvolvendo um planejamento estratégico e definindo o que fazer para que os objetivos da empresa sejam alcançados. O problema é que sem especificar uma forma detalhada de como fazer isso a tarefa se torna mais difícil e, ao apresentar resultados abaixo do esperado, aumenta o risco do planejamento ser abandonado no processo. Definir o que fazer é importante, mas concentrar as suas forças para focar no como fazer tirará a impressão de superficialidade do projeto. É o diferencial que trará os resultados e garantirá o sucesso do seu planejamento estratégico.

2. Garanta o envolvimento de toda a empresa no planejamento

Ok. Definido o que fazer e, principalmente, como fazer para tornar a teoria em prática, é hora de garantir que o seu empenho não aconteça em vão. Motivar a equipe de trabalho pode ser uma tarefa difícil, mas o envolvimento de todos será crucial para garantir o sucesso do planejamento como um todo. É importante demonstrar como cada colaborador representa um pilar de sustentação na estratégia e como o baixo desempenho de um pode colocar em cheque todo o planejamento. Mostre também os benefícios que eles terão além da empresa e faça-os se sentirem importantes e integrados aos valores que o negócio defende.

3. Divida o planejamento em metas por etapas

Um objetivo pode ser mais facilmente alcançado quando é divido em metas por etapas e partilhado entre os departamentos responsáveis. Um planejamento estratégico anual, por exemplo, envolve objetivos a serem alcançados em cada departamento da empresa, representando uma parte do objetivo principal. Ao dividi-lo em etapas com metas mensais e análises dos resultados obtidos, as chances de correção de desvios são maiores e contribuirá para manter a motivação dos funcionários ao longo do percurso.

4. Ofereça os recursos necessários para a execução do planejamento

Colocar um planejamento estratégico em prática depende inteiramente da estrutura que o gestor irá montar para a sua ação. Leve em consideração a metodologia que utilizará para garantir as melhores práticas (metodologias ágeis), as ferramentas tecnológicas ideais para estimular essas práticas (softwares e equipamentos), os recursos materiais necessários para a produção e a preparação da equipe para o trabalho. Todos esses fatores combinados devem formar uma estrutura suficiente para a execução do seu planejamento estratégico de forma mais eficiente.

5. Tenha o apoio de um parceiro com experiência para ajudar

Desenvolver um bom planejamento estratégico sozinho é possível, mas sentir a sua eficiência na prática vai depender do grau de conhecimento e experiência que os gestores terão para executá-lo corretamente. Nesse ponto, contar com o apoio de uma consultoria especializada pode fazer toda a diferença. A transferência de Know how pode ampliar os horizontes da empresa e ajudar a identificar e aproveitar oportunidades para a expansão de mercado, adoção de inovações e a utilização das melhores práticas existentes no mundo. Além disso, é um passo importante para a obtenção de uma certificação ISO e elevar o profissionalismo e a credibilidade da empresa no mercado.

Agora queremos saber de você. O que considera importante na hora de tirar um planejamento do papel e torná-lo realidade! Conta para nós!

Quer vender mais? Aprenda a utilizar o Canvas!

Você sabe como funciona o Canvas e como esta estratégia pode ser utilizada para aumentar as vendas da sua empresa? Esta é uma ideia proposta por Alexander Osterwalder, um teórico suíço muito conhecido por seus trabalhos envolvendo a criação de modelos de negócios. O Canvas é uma eficiente ferramenta de planejamento estratégico, que permite a visualização dos principais conceitos e propostas de valor de uma empresa.

Como o Canvas pode ajudar a aumentar suas vendas

Bussiness Model Canvas, ou simplesmente Canvas, é uma ferramenta utilizada para descrever negócios. É uma espécie de mapa, formado por nove blocos pré-formatados. Estes blocos reúnem as principais informações acerca da empresa e dos processos utilizados por ela. Quais são os clientes foco, qual é o valor que o negócio gera para o mercado e quais são os custos para manter a empresa são alguns dos dados organizados pelo Canvas. Saiba mais sobre os nove blocos que fazem parte da estrutura desta ferramenta:

  • Proposta de valor – qual é o valor gerado pela empresa para os clientes? Como ela se diferencia das outras marcas que atuam na mesma área?
  • Atividade-chave – quais são as atividades mais importantes para que a empresa possa cumprir sua proposta?
  • Recursos principais – o que é necessário para que a empresa desenvolva suas atividades-chave?
  • Parcerias principais – o que é preciso terceirizar? Quais são as alianças de negócios feitas para que as atividades da empresa sejam desenvolvidas?
  • Fontes de receita – como a empresa ganha dinheiro? Quais são os rendimentos do negócio?
  • Estrutura de custos – quais são os custos envolvidos nas atividades da empresa? Quanto em dinheiro é necessário para manter a estrutura do negócio?
  • Segmento de clientes – qual é o público-alvo para o qual os serviços e produtos desenvolvidos se destinam?
  • Os canais – quais são os hábitos de consumo dos clientes foco da empresa? Este é um ponto importante para as estratégias de marketing da marca.
  • Relacionamento com o cliente – como a empresa se comunica com cada perfil de cliente?

 

Utilize o Canvas para alcançar mais clientes

Não existe estratégia de marketing ou de vendas eficiente sem planejamento. Para criar um plano de comunicação assertivo, é necessário conhecer o cliente e saber o que ele espera receber da empresa. Com o uso do Canvas, é possível organizar todas as informações necessárias para garantir que o negócio, além de bem estruturado, cumpra sua proposta e realmente gere valor para o mercado.

Utilize o Canvas para conhecer melhor as pessoas que consomem os seus produtos e traçar estratégias direcionadas para este público-alvo. Os canais que os clientes usam para chegar aos seus produtos são outro exemplo de informação relevante visualizada no Canvas. Se você sabe quais são as principais mídias utilizadas pelo seu público, sabe quais são os locais em que vale a pena divulgar sua marca para atrair mais clientes. Quanto mais clientes você atrai, mais vendas a empresa faz!

O que você acha desta ferramenta de planejamento estratégico? Que tal começar a usá-la a favor das vendas do seu negócio?

Conheça as vantagens do cartão BNDES

Através do cartão fornecido pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), micro, pequena e médias empresas podem utilizar o crédito concedido para a utilização em investimentos no próprio negócio, bem como para adquirir produtos habilitados no credenciamento.

Quais são as vantagens do cartão BNDES?

O cartão BNDES disponibiliza crédito rotativo e pré-aprovado com juros baixíssimos fornece inúmeras vantagens para o crescimento de uma empresa. Confira:

Adquirindo o cartão BNDES

É necessário que a empresa não tenha um faturamento bruto anual que exceda a R$ 90 milhões. Além disso, deve ser sediada no Brasil, tendo o controle nacional, e atividade desempenhada esteja de acordo com as políticas do BNDES. Por fim, é obrigatório que esteja tudo regularizado no INSS, RAIS, FGTS e com a tributação federal.

Esse cartão é emitido pelos seguintes Bancos e bandeiras: Banco do Brasil (Elo), Banco do Nordeste (Visa), Santander (Visa), Banrisul (Visa), Bradesco (Elo), Brde (Cabal), Caixa (Mastercard), Itaú (Mastercard), Siccob (Cabal) e Sicredi (Cabal).

Condições Financeiras

Para realizar compras o portador deve acessar: www.cartaobndes.gov.br e tem como condições financeiras:

  1. Até R$ 1 milhão como limite de crédito (por banco);
  2. Pode parcelar em até 48x;
  3. As taxas de juros são pré-fixadas.

Vantagens do cartão BNDES

Rapidez para liberação do dinheiro

Em razão de o crédito ser pré-aprovado, o portador do cartão não precisar esperar que o Banco aprove a liberação do dinheiro.

Infinidade de equipamento que podem ser adquiridos

O portador pode utilizar o cartão BNDES para comprar os mais variados tipos de equipamentos para utilização na sua atividade econômica. Além disso, são permitidos a contratação de alguns serviços, contudo, são proibidas as compras de equipamentos (mais de 150 mil itens) que não são compatíveis com as funções que a empresa exerce.

Taxa pré-fixada e isenção de taxa de anuidade

A segurança disponibilizada ao portador, em virtude de a taxa (uma das menores do mercado) ser pré-fixada é enorme. Logo, a taxa inicial é a mesma que será cobrada até a última parcela. Assim, é possível ter em mente o valor correto de cada prestação a ser paga, sem correr o risco de sofrer um aumento linear nas parcelas que podem ser em até 48x. Ademais, não é cobrada qualquer tipo de taxa de anuidade pela liberação do crédito.

O portador pode utilizar diversas vezes o cartão BNDES

Conforme mencionado anteriormente, o crédito disponibilizado é de até R$ 1 milhão. Isso significa que enquanto o limite não for atingido, o portador pode utilizar várias vezes o seu cartão para o investimento no seu negócio. Não há o stress de precisar ficar indo ao Banco cada vez que precisa de um novo crédito para aquisição de equipamento ou serviço.

Vantagens para o fornecedor

Não é apenas o portador do cartão BNDES que possui uma série de vantagens, afinal, para o fornecedor o BNDES é extremamente vantajoso. Vale destacar as quatros principais vantagens: seus produtos são expostos de maneira gratuita no site do cartão BNDES; o capital de giro tem um comprometimento reduzido; o fornecedor tem a garantia de receber a venda em até 30 dias; e o financiamento é realizado de maneira automática para o seu cliente em até 48 prestações mensais.

Portanto, são diversas as vantagens disponibilizadas pelo cartão BNDES, tanto para o portador do cartão, quanto para o fornecedor dos produtos. Com esse tipo de investimento facilitado, as empresas podem buscar o seu lugar no mercado e crescer gradativamente.

Acesse Templum e conheça o software com excelência para o gerenciamento e a automação de consultorias!

Tecnologias para aumentar a produtividade

Não dá para negar que a tecnologia mudou o rumo de muitos mercados e tem facilitado cada dia mais na otimização de processos e agilidade na produção e execução de tarefas.

Em meio a este cenário é possível observar que muitas empresas ainda deixam de lado o investimento nestes recursos, por ainda considerarem um fator desnecessário para o foco de seus negócios.

Mas afinal, como a tecnologia pode ajudar minha empresa a ser mais produtiva? Acompanhe os detalhes a seguir:

Tecnologia para melhorar a gestão

A busca por melhorias na gestão das empresas é sempre um objetivo comum entre os empresários. Em meio a este desejo, é comum observarmos a dificuldade em padronizar processos, focar em soluções, aproximar colaboradores, entre outros fatores essenciais para obter maior qualidade e produtividade no trabalho.

Com o uso da tecnologia é possível utilizar softwares para centralizar as informações, unindo assim, uma base de dados para tomada de decisões e acompanhamento de atividades.

Deste modo, o uso de sistemas de TI para implementação de gestão empresarial, tende a ser um grande facilitador para que as empresas possam promover o cruzamento de informações, consultar dados, gerar, acompanhar e cumprir cronogramas de atividades e analisar informações para promover ações.

Um exemplo a ser citado, está no uso de softwares para implementar as normas ISO na empresa. Logo, por meio desta tecnologia é possível centralizar as informações e unir colaboradores para atingir o objetivo desejado.

Vantagens da tecnologia para aumentar a produtividade

Saber como a tecnologia pode ajudar a sua empresa a ser mais produtiva é um dos fatores essenciais para avaliar o custo-benefício para investir nestes recursos. Deste modo, separamos a seguir, algumas das principais vantagens que a tecnologia proporcionará para o melhor desempenho da empresa. São eles:

  • Automatização de processos e facilidade de controlar fluxo de informações;
  • Redução de erros operacionais, aumento da confiabilidade e redução da necessidade de retrabalhos;
  • Centralização de informações para rápida tomada de decisões;
  • Redução de custos com mão de obra;
  • Agilidade para a execução de processos e coleta de informações;
  • Possibilidade de trabalho remoto;

Investindo em tecnologia

Em meio a uma época onde os empresários acabam recuando seu investimentos pelas dúvidas a respeito do futuro cenário econômico, o investimento em tecnologia em muitos casos, acaba sendo deixado de lado.

Saber avaliar o real valor da tecnologia é essencial para reconhecer que até mesmo em fases economicamente desfavoráveis, é possível se beneficiar com os recursos tecnológicos.

Além disso, atualmente existem facilidades que garante a possibilidade de investimentos nesta área sendo um ótimo exemplo, o financiamento por meio do cartão BNDES para empresas de qualquer porte. Deste modo, o empresário que deseja investir em tecnologia, seja ela, hardware ou software, terá a vantagem em poder utilizar este cartão para estes fins.

Conforme abordado acima, empresas que buscam aumentar a produtividade, devem avaliar a importância da tecnologia para a implementação de sistemas de gestão, que possibilitarão uma melhor organização de seus processos.

Vale destacar que, mesmo com possibilidades economicamente desfavoráveis, as empresas poderão adquirir sistemas e demais recursos tecnológicos utilizando o cartão BNDES, que possibilitará melhores condições de financiamentos.

E você, como utiliza a tecnologia para aumentar a produtividade em sua empresa? Compartilhe conosco comentando abaixo?

Aproveitando ISO 9001 para alcançar o real valor de negócios

Independente do mercado em que se atua, as empresas em sua maioria estão sempre preocupadas com suas reputações, com a concorrência, além da conquista e fidelização de seus clientes.

Apesar destas preocupações, são poucos os empresários que buscam se diferenciar e melhorar a qualidade de seus processos afim de obter melhores resultados.

Um grande diferencial para qualquer setor é a certificação ISO 9001, que além de ser reconhecida mundialmente, possibilita melhores resultados para as organizações. Mas afinal, como minha empresa poderá se beneficiar com esta certificação? Veja os detalhes a seguir:

A ISO 9001

A ISO possui um grupo de normas que avaliam a qualidade das empresas, sendo representada pela ISO série 9000. Neste grupo, está a ISO 9001 que trata dos requisitos de sistemas para gestão da qualidade.

A conquista do certificado ISO 9001 pode ser adquirida por empresa de pequeno a grande porte e de quaisquer segmentos, e neste caso, a certificação irá comprovar e reconhecer de maneira nacional e internacional a qualidade do trabalho, assegurando boas práticas na gestão e relacionamento entre clientes e fornecedores, entre outros fatores.

As empresas que desejam se certificar com a ISO 9001 devem cumprir algumas exigências. Nesta fase, cada empresa implementa seu sistema de qualidade baseado em suas necessidades e de acordo com a norma. Por fim, a empresa solicita a auditoria por meio de um órgão certificador que por sua vez, emitirá um relatório certificando a empresa.

Como minha empresa pode se beneficiar com a ISO 9001?

Reconhecida mundialmente, a ISO 9001 vai além de um papel emoldurado no escritório da empresa. Deste modo, quem deseja alcançar maior valor em seus negócios deve avaliar a possibilidade de se certificar.

Para que se possa conhecer um pouco mais os benefícios da ISO 9001, separamos a seguir algumas das principais vantagens desta certificação para os negócios:

  • Grande diferencial para conquistar clientes que preferem negociar somente com fornecedores certificados;
  • Possibilita melhor desenvolvimento dos colaboradores;
  • Redução de custos com a minimização de desperdícios e otimização de processos;
  • Aumento da competitividade;
  • Quando aliada ao marketing, a ISO 9001 representa um grande diferencial em relação à concorrência, já que demonstra a preocupação da empresa em estar comprometida com a melhoria contínua de seus processos;
  • Com requisitos direcionados à satisfação do cliente, a ISO 9001 também foca para que as necessidades dos clientes sejam sempre atendidas.
  • Possibilidade de ampliar mercados;
  • Possibilita a continuidade de processos mesmo com a troca no quadro de funcionários, já que atividades são documentadas para ser utilizadas de maneira prática;

Conforme apresentado, foi possível conhecer a importância em obter a certificação ISO 9001 para comprovar a excelência na qualidade de processos da organização e aumentar o valor dos negócios.

Vale ressaltar que ao obter a certificação, a empresa deve dar continuidade na gestão de seus processos conforme exigidos pelas normas da ISO 9001. Isto porque, cada certificação tem a duração de 3 anos e dentro deste período a empresa é auditada. Logo, em casos de irregularidades, a certificação é suspensa antes do período de expiração.

Por fim, vale destacar que antes de solicitar a certificação para sua empresa, recomenda-se efetuar uma consultoria para organizar os processos e adequar as atividades conforme exigidos pela norma.

Gostou da dica? E você, já possui a ISSO 9001 em sua empresa? Conte-nos a sua experiência!

Como funciona o cartão BNDES?

O cartão BNDES é uma solução disponibilizada pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social criada para financiar investimentos das micro, pequenas e médias empresas brasileiras. O processo para solicitação do cartão, que oferece um limite de crédito que pode ser pago em até 48 meses, é simples e prático. Descubra, neste post, como funciona e quais são as principais vantagens deste tipo de financiamento:

Saiba mais sobre o cartão BNDES
Este cartão foi criado para financiar investimentos de empresas com faturamento de até 90 milhões de reais por ano e sediadas no Brasil. As principais vantagens em recorrer a este financiamento são as taxas de juros atrativas – que podem ser consultadas mensalmente na página inicial do site do cartão – as prestações fixas e iguais e a possibilidade de pagamento em até 48 meses. O crédito, que pode ser de até R$1 milhão, só pode ser gasto com os produtos disponibilizados no site. São mais de 140 mil opções de itens que podem ser úteis para variados setores. Banheiros portáteis, por exemplo, muito utilizados por empresas produtoras de eventos. Papéis de parede, equipamentos para construção civil, instrumentos musicais, sinalizadores, cortinas, tapetes, panelas e talheres são outros dos produtos que podem ser comprados com o cartão BNDES. Acesse o link para ver a lista completa.

Entre os bancos que podem emitir este cartão estão: o Banco do Brasil, o Banrisul e o Bradesco – pela bandeira Visa – e a Caixa Econômica Federal – pela bandeira Mastercard. A solicitação pode ser feita pelo site e é muito simples.

Como solicitar o cartão
Se você é proprietário de uma micro, pequena ou média empresa, com faturamento bruto de até 90 milhões de reais anuais, que exerce atividade econômica compatível com as políticas operacionais e de crédito do BNDES e está em dia com o FGTS, RAIS e com os tributos federais está apto a obter o cartão. Para isso, você deve acessar a página de solicitação do site e preencher os dados da empresa, como o CNPJ e o ramo de atividade. Depois de completa a proposta de solicitação, o empresário deve enviá-la para o banco emissor escolhido.

O valor do limite do cartão é atribuído pelo banco emissor após uma análise de crédito e pode ser de até R$1 milhão. Vale destacar que uma mesma empresa pode ter mais de um cartão BNDES, de bancos emissores diferentes.

Como ser um fornecedor
Outro ponto interessante desta solução criada pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social é a possibilidade da empresa se cadastrar como fornecedora do site e poder aceitar o cartão BNDES como forma de pagamento. Podem se cadastrar empresas com índice mínimo de nacionalização de 60%, fabricantes de bens e insumos úteis para os setores autorizados pelo BNDES. O cadastramento também pode ser feito pelo site. Basta que o empresário acesse a página da proposta de afiliação e preencha os campos solicitados.

Depois que o cadastro é aprovado pelo BNDES e que o processo de afiliação com a administradora do cartão é concluído, a empresa já pode disponibilizar o seu catálogo de produtos no site do cartão. As vendas com este meio de pagamento devem ser feitas exclusivamente pelo site.

O que você acha desta solução de financiamento voltada para as micro, pequenas e médias empresas? Comente sua opinião.

Como se diferenciar da concorrência com a ISO 9001

Para se diferenciar da concorrência, primeiro você precisa conhecer quem são seus concorrentes reais. Só depois disso dá para começar a pensar em estratégias que coloquem seu negócio em evidência de maneira positiva e ajudem a captar clientes. Para conseguir vantagem competitiva pode-se focar em um nicho de mercado, ser líder de custo, ou diferenciar produtos e serviços. No último caso, a forma de diferenciação tem tudo a ver com qualidade e otimização de processos, preceitos básicos da certificação ISO 9001.

Diferencial competitivo universal
Toda certificação oferece um diferencial competitivo e mostra para investidores, clientes e prospectos sua preocupação com a satisfação do usuário. Além disso, uma empresa que se certifica tende a ser vista como uma organização preocupada em implementar um processo contínuo de melhorias, que significa aplicar as melhores práticas para atingir altos níveis de qualidade e excelência. Essa certeza de que o produto ou serviço adquirido terá qualidade é que fará a diferença quando um prospect estiver em dúvidas entre sua empresa e um concorrente sem certificação. E engana-se quem ainda pensa que a ISO 9001 é diferencial apenas de grandes indústrias — a certificação aplica-se em companhias de serviço, escolas, empresas de tecnologia e até a pequenos negócios.

Como se diferenciar da concorrência

Abaixo, apresentaremos alguns fatores que fazem com que uma empresa se destaque diante dos concorrentes em um cenário cada dia mais competitivo.

Garantia de qualidade
Quando uma empresa implementa uma certificação como a ISO 9001, diz ao mercado que está preocupada com a qualidade dos processos e investe em melhoria contínua. Esse fortalecimento da imagem da empresa ajuda a atrair clientes que ainda estão inseguros dentro do funil de vendas. Isso significa que entre uma empresa que possui um certificado de qualidade e uma que apenas diz ter qualidade, o consumidor provavelmente irá escolher a que possui a garantia.

Foco na satisfação do cliente
Os processos dentro de uma empresa precisam estar alinhados com a satisfação do usuário. Ou seja, é o cliente que direciona as ações e ajustes nos produtos e serviços. Se sua empresa monitora constantemente o índice de satisfação do usuário e pede feedbacks, fica muito mais fácil atrair novos clientes e aumentar a fidelização dos já clientes. Para contemplar as necessidades do público-alvo, os processos precisam ser bem definidos e focados em alcançar a conformidade aos requisitos do cliente.

Reconhecimento internacional
Como a ISO é um padrão de qualidade mundial, se você possui a certificação, o mundo inteiro vai enxergar sua empresa como sinônimo de qualidade. Em um cenário que envolva a venda internacional, a certificação pode representar o aumento de oportunidades de negócios.

Credibilidade
A credibilidade é basicamente como os consumidores e o mercado veem uma marca e como se sentem em relação a ela, ou seja, o nível de confiança na empresa. Quando você investe em uma certificação, ajuda a fortalecer a confiança que o usuário tem nos serviços ou produtos que sua organização vende. É claro que apenas mostrar um selo e não seguir as boas práticas e processos que a certificação exige não adianta em nada. Para manter a credibilidade, é preciso tempo e esforço. Mas não podemos negar que a conquista da ISO 9001 é um grande passo.

Ficou com alguma dúvida sobre como se diferenciar da concorrência com a ISO 9001? Deixe sua pergunta na área de comentários.